5 Cuidados Ao Escolher O Nome Do Bebê

Confira também os 100 nomes mais registrados no Brasil

como escolher o nome do bebê

É sempre assim: quando a mãe dá a noticia da gravidez, logo vem uma enxurrada de palpites.  E, claro, que para escolher o nome do bebê não poderia ser diferente.

Na opinião dos familiares, os sobrenomes devem ser levados em conta; em alguns casos, os avós também sugerem a opção por nomes bíblicos. Sem contar as dicas dos amigos e a influência da TV...

Recomendações são bem vindas, desde que com o consentimento para evitar chateações, como até já postamos aqui no blog. Independente, é importante que os pais levem em consideração alguns pontos.

1- Significado do nome

Este é o principal a ser levado em conta, embora muitas mães (na maioria dos casos a escolha é delas) já estão cientes de qual nome darão aos herdeiros. Com os palpiteiros, é bom ela estar preparada para questionamentos com relação ao significado.

2- Apelidos indesejáveis e cacófatos

O bullying está aí e tem feito cada vez mais vítimas, principalmente na escola. Por isso, pense nesta questão na hora de dar o nome ao seu filho, pois os apelidos maldosos poderão surgir. Na dúvida, pense nas possíveis variações a fim de evitar constrangimentos futuros.

3- Escrita e pronúncia

Encontre o erro

Nomes muito complicados de escrever ou de falar também podem gerar dor de cabeça no futuro. Imagine seu filho tendo que soletrar todas as vezes que precisar fazer algum registro ou cadastro.

4- Comum demais

Se há algum pecado em escolher um nome muito popular? A resposta é “NÃO”. Daí você lê esta sugestão e pensa: “É oito ou oitenta; eles não aconselham nome difícil, mas também não sugerem o nome fácil!”. Hahaha... Vale lembrar que aqui estamos descrevendo os prós e os contras, e este caso deverá ser bem pensado para quem ama uma exclusividade.

5- Nomes da moda

É bem comum também que os pais pesquisem na internet quais os nomes do momento. Porém, se você é fã de tendência, saiba que este mesmo nome pode não estar em alta daqui há dez anos, por exemplo.

Com estas dicas, você poderá avaliar melhor a escolha junto com o seu (a) companheiro (a). E para saber quais nomes foram mais registrados nos últimos anos, confira no quadro a seguir segundo os dados do portal Baby Center.

Aproveite e confira quais documentos você vai precisar para fazer o registro:

  • Declaração de Nascido Vivo (DNV) que é emitido pelo hospital onde a criança nasceu;
  • Documentos dos pais;
  • Se os pais forem casados deverá apresentar a certidão de casamento;
  • Em caso de pais que não são casados, o pai poderá fazer o registro estando também com o documento da mãe. Em caso de ausência, ele deverá passar uma procuração com firma reconhecida para o responsável pelo registro;
  • Se a mãe for sozinha, esta deverá comparecer ao cartório com o DNV e com o documento pessoal. Lá, ela será orientada como proceder para acionar o suposto pai;
  • Caso os pais da criança sejam menores de 16 anos, eles deverão comparecer a um cartório civil acompanhado dos avós ou de algum responsável com mais de 21 anos.

A certidão de nascimento é um direito de todo cidadão brasileiro e por isso o documento é emitido gratuitamente nos cartórios. No caso de segunda via do documento, poderá haver cobrança, segundo o Portal do Governo Federal.

 

conheça nosso site

Esse artigo te ajudou? Comente ou responda aqui.